Tags

, ,

O sol se escondia entre os prédios de Aracaju, o calçadão do centro diminuía o número de pessoas, a cidade calma ficava ainda mais, exceto pelas músicas vindo de alguns bares. Entre as pessoas que caminhavam pelo centro, estava Eliana que num dia qualquer a procura de afastar o tédio caminhava para distrair a mente, já que a semana que passou trouxe muitas preocupações tanto que ela estava quase pedindo demissão, se não fosse por um amigo que a acalmou… Porém, esses infortúnios não a incomodariam nesse fim de semana, o sol absurdamente quente agora dava espaço para a lua, contudo, não deixando o calor se esvair, esse sempre estava lá, em todo lugar, até mesmo a sombra era só uma pausa para o calor adentrar na pele.

Passando por uma praça resolveu sentar num dos bancos, comprou um suco com sanduíche e ficou ali fitando o vazio, as pessoas que por ela passavam recebia um olhar minucioso que visava os detalhes físicos de cada uma. De repente, nesses instantes, por mais que evitasse, advinha pensamentos sobre o futuro da sua pessoa que se aproximava dos 30 anos e por mais que estivesse bem financeiramente não encontrava alguém pela qual poderia planejar passar a vida, alguns namoros que não deram muita coisa além de uma enrolação e por mais que tenha aproveitado a vida nesse momento faltava algo mais. O engraçado é que os homens se sentiam intimidados em se aproximar dela, por mais que fosse alguém que lhe interessasse essa pessoa ficava meio de longe, não aproximando, talvez somente se ela se “jogasse” totalmente é que essa pessoa poderia saber do seu interesse. Tão logo seria as férias e nela, Eliana planeja viajar para algum país, não sabia se França ou Itália, ou quem sabe por algum estado no Brasil, o que ela mais aguardava era justamente que algo diferente pudesse vir acontecer, mas devia esperar por isso? Não seria mais justo, pensar em se divertir mesmo que sozinha, pois se algo mais acontecer não seria por meio de um plano, e sim pelo acaso? Essa segunda opção era a mais crível.

O celular tocou, era o amigo do trabalho, comentando que ia ter uma banda de rock num dos bares já bastante conhecido. Porém, não tinha nada para fazer e essa seria uma melhor forma para distrair a mente. Confirmou a ida! Se levantou e foi para casa, no caminho avistou um homem lindo que lhe chamou a atenção, aparentava que ele estava perdido, talvez alguém conhecendo a cidade, aproximou dele e perguntou se tinha alguém problema. O homem comentou que estava procurando um supermercado. Como o mais próximo se encontrava no caminho de casa, ofereceu acompanhá-lo até o local. Como é de esperar, ele aceitou o convite prontamente. Nisso a conversa fluía entre os interesses e coisas mais pessoas e o mais impressionante era o charme de como ele falava sobre diversos assuntos, resplandecendo todo o conhecimento que advinha das suas inúmeras viagens, quando chegou na porta da casa de Eliana, ela apontou onde era o supermercado, porém antes de ela entrar em casa, recebeu um outro convite, de uma saída num bar com os amigos dele. Eliana aceitou no mesmo instante, depois lembrou de haver combinado com o amigo do trabalho a saída para o show, porém daria para desmarcar esse compromisso e acompanhar esse homem bem interessante numa noite.